sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Vamos falar de Calendário?



A Copa do Brasil, como está desenhada hoje, vende aos clubes do Noroeste (N/CO) e do Nordeste (NE) a falsa ilusão de que estariam competindo em pé de igualdade com os times do "Sul Maravilha" (RS, MG, SP, RJ, PR). Basta olharmos os números das últimas 20 edições, para vermos o quão raro é um time do Nordeste chegar às quartas de final, raridade essa que se acentua para times do Centro-Oeste, e chega próximo de zero para times do Norte. Além disso, a sobreposição de datas com os estaduais e o Brasileiro acaba por esvaziar o torneio, e fecha as portas para o fortalecimento dos campeonatos regionais.

O que propomos é que a fase inicial da Copa do Brasil seja constituída pelos próprios torneios regionais: Nordestão (com 32 clubes dos 9 estados do Nordeste), Copa Verde (com 32 clubes dos 7 estados do Norte mais os dois Matos Grossos), e um torneio do centro-sul mais industrializado (com os times do Sul, Sudeste, DF e GO). Assim, após um mata-mata de 10 rodadas, teríamos um campeão regional em cada módulo, e ao fim um quadrangular final entre os 4 times (o campeão do Nordeste, o campeão do Noroeste, e o campeão e vice do Centro-Sul).

Paralelo a isso, os estaduais não podem morrer. Berço das rivalidades locais, inclusivos para a difusão da paixão pelo futebol por todo o nosso território, celeiro de renovação de novos jogadores, e lastro que fortalece potências locais e mantém suas torcidas vivas, os estaduais vêm sofrendo duros golpes da mídia hegemônica, que quer transformar o futebol brasileiro numa disputa exclusiva entre Flamengo e Corinthians, como ocorre na Espanha. Não podemos deixar.

O que propomos são duas coisas simultâneas: um torneio de ano inteiro, em cada estado, disputado pelo times daquele estado que não estão nem na série A nem na série B; um torneio com todos os times daquele estado, incluindo os grandes que disputam as séries A e B, concentrado em 14 rodadas nos meses de junho e julho (quando geralmente a nossa Seleção está jogando torneios FIFA). Assim, todas as competições nacionais parariam entre junho e julho, exceto os estaduais, que teriam uma copa própria de curta duração, para confrontar times grandes e pequenos daquele estado, e ainda fazer a etapa classificatória dos regionais do ano seguinte.

Por fim, entendemos que o Brasileirão deveria ter menos jogos, e melhores. O que propomos é um torneio de ano inteiro (fevereiro a maio - 1ª fase; agosto a novembro - 2ª fase), com 2 grupos de 16 times cada, 30 rodadas de pontos corridos em cada grupo na 1ª fase, e depois uma final única entre os 2 campeões (o 1º lugar de cada grupo), num dos estádios da Copa de 2014 (a ser sorteado a cada ano). 31 jogos ao todo, para o campeão. A Série B poderia continuar com os 20 times em pontos corridos e 38 rodadas.

A ideia é termos um calendário em que: (i) torneios regionais sejam fortalecidos, fortalecendo assim o futebol do Norte (e Centro-Oeste) e Nordeste; (ii) estaduais sejam novamente valorizados, com um torneio de tiro curto no meio do ano; (iii) o Brasileirão seja difundido pelo ano inteiro, com menos jogos e a volta de uma Grande Final, no estilo do Super Bowl. É um apelo ao bom senso e ao resgate dos tempos áureos do nosso futebol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário